terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Você não merece meu amor!




Me deparei com a seguinte sentença “você não merece o meu amor!”, uma frase forte, então comecei a refletir a respeito. Se pararmos para pensar, quem realmente merece nosso amor?
Difícil pergunta, pois somos totalmente falhos, magoamos e ferimos as pessoas, não valorizamos o que fazem por nós, e daí para pior. Ainda merecemos ser amados?

Acontece que o amor não obedece uma regrinha lógica, tipo “você é legal, pensa nos outros e tudo mais, vou te dar meu amor”, ou você é egoísta, mesquinho não está nem aí pra mim, vou te negar meu amor”

Martha Medeiros em uma de suas crônicas elucida bem esse tema “Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano.”

Se formos esperar alguém merecer nosso amor para dá-lo, provavelmente morreremos sem amar ninguém. É só parar e pensar, se o único que passou pela terra, que era perfeito, fez tudo certo, e só ajudou aos outros, não foi amado, muito pelo contrário, foi humilhado, rejeitado e morto, por que nós, meros mortais, imperfeitos, que acordamos de cara emburrada, que não cedemos o lugar no ônibus, que mentimos, seríamos?

Creio que essa é a grande questão no amor. É muito fácil amar alguém que só nos agrada, que faz tudo certo (se é que esse alguém existe), agora, amar alguém que nos critica, que não é sincero conosco, que não nos valoriza, é mais complicado.

A verdade é que ninguém merece ser amado, mas de forma alguma devemos deixar de amar, pois, além de ser o maior mandamento, se passarmos pela vida sem ter amado ninguém, não valerá a pena ter vivido.

“As pessoas boas merecem nosso amor, as pessoas ruins precisam dele.” Madre Tereza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário