quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Nunca mais vi o pôr do sol



Quando menina adorava ver o sol se pôr

Achava pura poesia aqueles instantes

O jogo de luzes fazia uma linda pintura

Registrada para sempre em minha memória

O pôr do sol trazia um quê de fantasia aos meus dias

Construíram um muro

O concreto me impede de ver o pôr do sol

Nunca mais me senti extasiada com a vista

Como criança me sentia

O otimismo se reerguia

A imaginação se mantia

O sonho renascia

A mais pura arte se via

A inspiração se refazia

Nunca mais vi o pôr do sol

O concreto me cega

Não vejo mais beleza

Não vejo mais poesia.





Nenhum comentário:

Postar um comentário