quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Refém


Refém do medo
Refém do estado
Refém de si mesmo
Quem deve nos proteger nos mata
As mãos que deviam estar estendidas estão sujas de sangue
Refém do medo
Refém do estado
Refém da corrupção
Refém de um futuro que parece marcado
Sangue inocente
Sangue que lutava por uma vida melhor
Sangue favelado
Sangue negro
Negro estudante
Negro sonhador
Negro cujo único crime é ter nascido negro
Estado omisso
Estado arbitrário
Estado covarde
Estado assassino
O saldo mais recente da guerra
111 tiros, 5 famílias destruídas, 5 futuros roubados e a infeliz certeza que isso não vai acabar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário