quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Maldito óbvio


Não é a primeira, a segunda e muito menos a última vez que isso vai acontecer comigo.

Você se dedica na confecção e na revisão de um texto importante que vai mandar por email, lê e relê mil vezes se certificando que está tudo certo. Envia o email e segundo depois percebe que faltava uma letra no campo do assunto. Aquela palavra errada fica piscando em rosa e em letras gigantes pra você e é como se fosse um tapa na cara do destino dizendo “tá vendo seu trouxa, eu sempre venço no final hahaha! ”.

Por que sempre nos esquecemos de coisa tão óbvias? Talvez a gente fique tão concentrado em alguma coisa que, deixando mais “simples” no automático ele acaba saindo errado. Mas por que ele tem que sair errado? Por que não pode sair tudo certinho como você planejou? Por que aí não seria óbvio.

Você pensa num jeito de tentar resolver aquele problema. O email já foi enviado, você não pode enviar de novo, ou seja, a merda está feita. Parece que estou ficando especialista em cagadas óbvias. Aquela coisa que depois que você vê pensa “ gente, mas como eu deixei isso passar?!” Minha monografia tinha uma palavra duas vezes no título e eu só fui perceber quando alguém da banca disse “ei, tem essa palavra duas vezes no título. ” Por que eu não vi isso antes? Por que minha orientadora não viu isso? Porque é óbvio.

Acho que nossa mente não está muito acostumada com o óbvio, por isso talvez ele passe despercebido. O jeito é tentar não se encanar, porque no final, ele sempre vai levar a melhor mesmo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário